Ao Vivo

Atlas do sexo: costumes sexuais mundo a fora são mapeados, incluindo o Brasil

15/09/2021 às 12:00.

Bora conhecer os costumes sexuais mundo a fora? Curiosa para entender saber como as pessoas se comportam no sexo a jornalista britânica Yasmin Harisha criou um atlas do sexo. 

Para levantar os comportamento sexuais, ela se se baseou em diversas pesquisas divulgadas pela revista científica Frontiers in Psychology, pela empresa Durex e pelo “Atlas do Comportamento Sexual Humano”.

Chegou a hora de conhecer os hábitos na cama pelos 5 continentes desse mundão.

Brasil 

No quesito duração do sexo, os brasileiros levam medalha de ouro, com cerca de 30 minutos por relação. Mas, por aqui as mulheres parecem não tão satisfeitas, já que 44% delas admitiram fingir orgasmos. 

França 

Rapidinhas. Foi assim que a jornalista definiu os franceses, que preferem ter sessões curtas de sexo, de acordo a pesquisa. Pouco mais da metade dos homens é capaz de prolongar o tempo de sexo sem ejacular e apenas 6% das relações duram até 13 minutos. 

Grécia 

Os gregos são os campeões mundiais na frequência: toda semana. A libido por lá é bem aflorada, já que 87% dos adultos vão pra cama pelo menos uma vez por semana.

Reino Unido 

Na terra da Rainha Elizabeth os súditos amam fetiches e preliminares. O Great British Sex Survey revelou que 1,5 milhão de pessoas têm taras por pés, com Manchester sendo a capital dos “chupadores de pés”. 

Estados Unidos 

Os norte-americanos gostam de sexo ousado: de ménage. Nova York, Los Angeles e Chicago possuem os maiores interessados por sexo a três, de acordo com o aplicativo de namoro 3somer. Um em cada nove americanos já esteve em um relacionamento poliamoroso e um em cada seis gostaria de experimentar esse tipo de relação. 

Itália 

Sexo oral. Em uma porcentagem surpreendente, uma pesquisa apontou que mais de 80% dos italianos gostam de sexo oral. Além disso, 25% dos casais assistem filmes pornôs juntos e 24% dos casais também dizem usar objetos ou comida para excitação.  

Noruega 

Prazer diário. A Noruega seria a “capital do orgasmo”. Segundo a empresa de brinquedos sexuais Lelo, 35% da população afirmou ter orgasmos todos os dias. 

Índia 

Odeiam preservativos. Uma pesquisa da Durex descobriu que 95% dos indianos não usam camisinha. Os entrevistados sugeriram que o uso reduz a intimidade e que “havia falta de sentimento”. Bom, no mês passado, um indiano morreu depois que passou supercola no pênis para substituir a camisinha. 

Por Alexandra Fernandes com informações Page Not Found/Extra