Ao Vivo

Atenção, pais: “Homem Pateta” espalha conteúdo violento e assusta crianças nas redes sociais

24/06/2020 às 08:26.

Perfil com o nome Jonathan Galindo teria surgido no México e chegou ao Brasil recentemente, assustando crianças e adolescentes| Foto: Reprodução/ Facebook

Depois do jogo Baleia Azul e da aterrorizante boneca Momo, uma nova ameaça ronda crianças e adolescentes que usam as redes sociais. Um alerta da Polícia Civil (PC) e do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) pede que pais e responsáveis fiquem atentos a perfis que têm espalhado conteúdo violento e mensagens que podem, inclusive, induzir ao suicídio.

Segundo a polícia, as páginas têm o nome de “Jonathan Galindo” e exibem a foto de um homem usando um tipo de máscara de cachorro, que lembra muito o personagem “Pateta’ dos desenhos animados. Por isso, o usuário foi apelidado de “Goofy” pelas autoridades.

“O que a gente tem visto é que são pessoas que usam perfis falsos em redes como Tik Tok, Instagram e Facebook para atrair crianças e adolescentes para conversas privadas. Nessas conversas, eles podem ameaçar, intimidar, chantagear e há, também, a preocupação de que possam até passar informações sobre técnicas de suicídio”, disse a delegada Patrícia Zimmermann D’Ávila, coordenadora da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Santa Catarina.

Patrícia explicou que “Goofy” teria surgido em 2017, em países latinos (especialmente no México) e migrado, recentemente, para o Brasil. “Eles criam um perfil que seja atrativo, com uma boa escrita, uma boa fala, algo que chame a atenção. Aos poucos vão ganhando a confiança, como se fossem seduzindo esse adolescente, e aí fica fácil para praticar os demais atos”, afirmou a delegada.

Ainda segundo ela, nenhum boletim de ocorrência foi registrado até o momento, mas o trabalho da polícia tem sido de prevenção. “Os pais têm que entender que deixar uma criança ou um adolescente navegar sem supervisão nenhuma na internet é a mesma coisa que abandoná-lo em uma via pública de madrugada”, ressaltou.

Via: Tribuna Do Paraná