Ao Vivo

Arquiteto instala gangorras na cerca entre EUA e México

30/07/2019 às 13:55.

Dois acadêmicos norte-americanos instalaram gangorras que atravessam a cerca de ferro que separa os Estados Unidos do México.

A instalação fica em um trecho da fronteira entre El Paso (EUA) e Ciudad Juaréz (México) e é uma forma de unir, de uma forma lúdica, os países.

View this post on Instagram

One of the most incredible experiences of my and @vasfsf’s career bringing to life the conceptual drawings of the Teetertotter Wall from 2009 in an event filled with joy, excitement, and togetherness at the borderwall. The wall became a literal fulcrum for U.S. – Mexico relations and children and adults were connected in meaningful ways on both sides with the recognition that the actions that take place on one side have a direct consequence on the other side. Amazing thanks to everyone who made this event possible like Omar Rios @colectivo.chopeke for collaborating with us, the guys at Taller Herrería in #CiudadJuarez for their fine craftsmanship, @anateresafernandez for encouragement and support, and everyone who showed up on both sides including the beautiful families from Colonia Anapra, and @kerrydoyle2010, @kateggreen , @ersela_kripa , @stphn_mllr , @wakawaffles, Chris Gauthier and many others (you know who you are). #raelsanfratello #borderwallasarchitecture

A post shared by Ronald Rael (@rrael) on

O conceito já tem dez anos, de acordo com o jornal “The Guardian”, e foi elaborado pelo professor doutor Ronald Rael, da cadeira de arquitetura da Universidade da Califórnia em Berkeley, e Virgínia San Fratello, de design na San José University.

As gangorras são pintadas em rosa-choque.

Imagens da instalação fizeram sucesso em redes sociais. Há vídeos curtos de adultos e crianças brincando com a cerca no meio.

O MURO

Uma das promessas eleitorais que levaram Donald Trump à Casa Branca foi a construção de um muro na fronteira entre os dois países.

Ele não conseguiu verba no orçamento para isso até o momento. A Suprema Corte dos EUA autorizou, recentemente, que ele use US$ 2,5 bilhões que iriam para gastos com militares para reformar quatro trechos da cerca que separa os países.

Via G1