Aprovado em 1º lugar em física na USP se inspirou em séries como ‘Big Bang Theory’ e ‘Mundo de Beakman’

30/01/2019 às 17:12. Comente esta notícia!

 

 

Vinicios Tranzil, de 20 anos, foi o 1º dos 9 irmãos a entrar na faculdade — e em 1º lugar em física, na Universidade de São Paulo (USP), pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Também viu seu nome na lista de aprovados da Fuvest (vestibular da USP), para física computacional. O porquê de ele gostar do assunto? Séries de TV com essa temática, como Big Bang Theory, Mundo de Beakman e Cosmos.

“Gosto de cultura pop e desde pequeno tive fascínio por essa área da física. Tenho facilidade com números”, diz. Pela Fuvest, o jovem foi selecionado na ampla concorrência. Já no Sisu, ocupou uma das vagas reservadas para negros, pardos e indígenas que tenham estudado em escola pública.

Ele conta que, apesar de todos os problemas de infraestrutura no colégio estadual onde concluiu o ensino médio, teve a sorte de receber o apoio de bons professores.

Rascunho de cálculos mostram dedicação do jovem em estudar física. — Foto: Arquivo pessoalRascunho de cálculos mostram dedicação do jovem em estudar física. — Foto: Arquivo pessoal

“Eles souberam lidar com os alunos. A de português, por exemplo, dava aulas voluntariamente à noite, porque sabia que a maioria não tinha condições financeiras de pagar um cursinho. Em química, também tivemos esse reforço. Foi fundamental para o meu preparo”, diz.

Desde os 16 anos, Vinicios concilia os estudos com o trabalho. Atualmente, ele é repositor do estoque de uma loja de R$ 1, em São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais. Já atuou em supermercado, em loja, em setor administrativo. Em 2018, sua rotina ainda incluiu a prestação do serviço militar obrigatório.

Ele acordava às 4h da manhã e caminhava até o Tiro de Guerra — instituição do Exército Brasileiro que permite ao jovem também estudar e trabalhar. Depois, das 8h às 17h, ficava na loja. E ainda seguia para a faculdade, onde cursava licenciatura em física em uma universidade estadual.

“Eu queria mesmo fazer o bacharelado, por isso, depois de percorrer 50 km para voltar para casa, chegava em casa e estudava para o Enem”, diz. “Aproveitava os intervalos da faculdade também. Mas foi um processo doloroso, dormindo pouco, comendo pouco. Precisei abrir mão de muita coisa.”

Escolha

Vinicios tem duas opções na USP: cursar física no campus de São Paulo ou física computacional em São Carlos (SP). Por enquanto, sua decisão é estudar na unidade do interior paulista. “Não consigo me imaginar morando em cidade grande. Vou ficar em um alojamento estudantil, sugerido pelos veteranos”, diz.

Ele explica que a física computacional também o atrai. “É um curso relativamente novo, que ajuda a resolver cálculos que são impraticáveis a mão”, afirma.

Conselho

O jovem dá um conselho aos candidatos do Sisu 2019. “Não entrem em qualquer curso só para mostrar à sociedade que foram aprovados. Eu, por exemplo, cursei licenciatura mesmo querendo bacharelado. Mas era o que eu conseguia na época. E isso só me atrasou no processo”, diz.

Fonte: G1