Após discussão com Haddad, Bolsonaro nega bloqueio no Twitter

07/01/2019 às 21:18. Comente esta notícia!

Foto: Jornal O Globo.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi ao Twitter, no início da tarde do último sábado, criticar o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o Partido dos Trabalhadores (PT).

Bolsonaro chamou Haddad de “marmita” e “fantoche do presidiário corrupto” (em citação indireta ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva) após o ex-prefeito paulistano ter compartilhado um artigo da revista Deutsche Welle que critica o “anti-intelectualismo” no Brasil. Segundo o Bolsonaro, o PT promoveu uma série de motivos para a sua derrota na eleição de outubro de 2018.

Haddad respondeu ao presidente com Tweet/convite para um debate “frente a frente”. “Estou disponível”, escreveu o petista.

De acordo com o presidente, “o PT quebrou o Brasil de tanto roubar, deixou a violência tomar proporções de guerra, é uma verdadeira quadrilha e ninguém aguenta mais isso”.

Veja, abaixo, as mensagens do presidente:

Bolsonaro se referia, em seus tuítes, a uma postagem feita por Haddad na noite de sexta-feira. O petista havia destacado uma frase de artigo publicado pela revista alemã Deutsche Welle: “No Brasil, está na moda um anti-intelectualismo que lembra a Inquisição. Seus representantes preferem Silas Malafaia a Immanuel Kant. Os ataques miram o próprio esclarecimento”.

Em resposta ao presidente, o petista lembrou que o texto da publicação alemã não era de sua autoria e, sim, de Philipp Lichterbeck. Esse foi o comentário que ficou indisponível no perfil de Bolsonaro durante algumas horas de sábado.

 

 

Leia a matéria completa: Metrópoles