Aluno que estudou em casa passa em 5 universidades: medicina

06/02/2019 às 08:32. Comente esta notícia!

Um aluno do Espírito Santo, que estudou em casa, conseguiu nota para passar em Medicina em cinco universidades públicas.

Leonardo Martins Adriano, de 19 anos, mora em Cachoeiro de Itapemirim e escolheu a Universidade de São Paulo (USP), considerada a melhor faculdade de medicina da América Latina.

Além da USP, as outras aprovações foram na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Universidade de Brasília (UNB), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

“Decidi jogar a minha nota para ver se entrava nessas universidades. Joguei na de Minas e vi que entrava, aí decidi que ia para Minas. Mas aí a família falou ‘por que você não tenta na USP?’. Nem tinha esperanças, mas tentei e vi que dava também. Eu não acreditei que eu iria para São Paulo até o último dia, quando saiu o resultado”, contou ao jornal GazetaOnLine.

Como

Leonardo sempre estudou em escolas públicas e concluiu o ensino médio no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

Sonhando com Medicina, começou a fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como treineiro e não foi muito bem da primeira vez.

Quando o ano decisivo chegou, ele percebeu que a rotina de estudos precisava ser intensificada. Além do período na escola, quatro horas diárias eram reservadas para o vestibular.

“Eu me considero um exemplo de que é possível estudar em casa, fazendo cursinho on-line, o que sai muito mais em conta. Mas isso desde que você tenha disciplina, faça muitos exercícios”, disse.

As aulas só começam no final de fevereiro, mas ele já se prepara para morar na capital paulista e viver novos desafios.

“Ainda não caiu a ficha que eu vou deixar meus pais, morar longe, bem longe”, falou.

Leonardo é filho do retificador Genivaldo Adriano e da servidora pública Alessandra Martins Adriano.

Os pais contaram que sempre apoiaram o filho, mas também que sempre deixaram claro também que não tinham condições financeiras de arcar com os estudos.

“Particular, para nós, é impossível. Não é nem praticamente impossível, é impossível mesmo, não teria como. Pelo Fies também eu já tinha descartado”, contou Alessandra.

Com informações do GazetaOnLine