Ao Vivo

Agravamento da pandemia fez Curitiba ativar 517 leitos covid-19 em um único mês

25/03/2021 às 08:20.

Leito de UTI para pacientes com covid-19. Foto: Pedro Ribas/SMCS

A força-tarefa do sistema público de saúde de Curitiba nos últimos dias para ativar leitos de covid-19 ainda não foi suficiente para dar conta da transmissão acelerada do coronavírus. Para tentar aliviar a sobrecarga dos hospitais colapsados, o prefeito Rafael Greca (DEM) estendeu o lockdown até a próxima segunda-feira (28), totalizando 15 dias de paralisação de diversas atividades, entre elas o comércio, para impedir a circulação de pessoas e, consequentemente, a transmissão.

Só nos últimos 30 dias, a prefeitura ativou 517 leitos – 121 intensivos e 396 de enfermaria. Esse montante equivale a um terço de todas as vagas hospitalares destinadas à Covid-19 desde o início da pandemia, há um ano. De 849 vagas em 22 de fevereiro, os leitos de coronavírus saltaram para os atuais 1.366, aumento de 61% em um mês.

“É como se em um ano tivéssemos colocado em funcionamento três hospitais do tamanho do Evangélico ou ainda 12 hospitais de campanha somente para atender pacientes com covid-19”, compara a secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak, em entrevista ao site da prefeitura de Curitiba.

Terça-feira, Curitiba abriu mais 11 leitos nessa corrida contra a nova onda do coronavírus. Foram mais seis vagas de UTI no Hospital Evangélico Mackenzie e cinco leitos clínicos na Santa Casa. Só o Evangélico Mackenzie abriu 20 vagas intensivas de fevereiro para cá, totalizando 63 leitos de UTI.

Mesmo assim, o quadro dos hospitais da capital segue grave. Terça-feira (23), as UTIs seguiam colapsadas, com 102% de ocupação. Já os leitos clínicos estavam quase completamente lotados, com 94% de ocupação. Curitiba registrou 45 mortes por covid-19 terça-feira.

“Mesmo com a abertura de todos esses leitos, a nova cepa da doença é cruel e se alastra rapidamente. Precisamos que toda a sociedade entenda que a hora é grave. Se puderem fiquem em casa”, apela Greca no post no Facebook, referindo-se à mutação P1 do coronavírus, mais transmissível e letal que a anterior..

Hospital de Clínicas

Segunda-feira (22), o Hospital de Clínicas (HC) ativou mais sete leitos de UTI com sete respiradores e nove aparelhos de alto fluxo doados pela Associação Amigos do HC, no valor de R$ 284 mil. Maior hospital do Paraná, o hospital da Universidade Federal do Paraná (UFPR) tem agora 193 leitos, sendo 93 de UTI e 100 de enfermaria, totalizando pouco mais de 14% de todos os leitos SUS de Curitiba.

Via: Tribuna Do Paraná