Ao Vivo

Aglomeração e desrespeito marcam o fim de semana em parques estaduais na região de Curitiba

07/09/2020 às 07:59.
Entrada do Morro do Anhangava, em Quatro Barras. Foto: Lineu Filho / Tribuna do Paraná

O sol e o calor deste domingo (6) fizeram muitos curitibanos procurarem atividades ao ar livre, causando aglomeração e muito movimento nos principais parques estaduais da região metropolitana de Curitiba. Em Quatro Barras, mesmo com controle de pessoas, mais de mil pessoas estavam cadastradas para subir o Morro do Anhangava neste domingo. Outras 200 aguardavam cadastro para fazer a trilha por volta das 11 horas.

De acordo com o presidente da Federação Paranaense de Montanhismo, Márcio Hoepers, o movimento no Anhangava é alto desde às 7 horas. Mesmo num espaço aberto e em meio a natureza, o risco de contágio de coronavírus continua. “As pessoas estão se aglomerando em trechos da trilha, mais de 15, 20 pessoas, maioria sem máscara, sem distanciamento. Tá crítico”, desabafa o presidente da federação.

Por causa das restrições da pandemia, o Morro do Anhangava atraiu turistas despreparados para o ecoturismo. Com caixinhas de som e bebida alcóolica, muitos passam pela trilha deixando um rastro de sujeira. De papel de bala a garrafinha de achocolatado. “As pessoas não estão habituadas a esse tipo de passeio. Acham que alguém vai passar lá para fazer uma limpeza. Tenho amigos que vieram pela trilha trazendo lixo dos outros”, comenta Hoepers.

A situação de desrespeito continua em outros parques estaduais. Na trilha que dá acesso ao Pico Paraná, na região de Antonina, mesmo com a proibição de acampar na região, muitas barracas foram encontradas neste fim de semana. “Está uma terra sem lei. Na sexta-feira e no sábado, eu vi mais de 70 barracas na região”, revela Hoepers.

Perigo na despreparação

Segundo Hoepers, quem escolhe um passeio ao ar livre, numa trilha ou subida de morro, precisa estar vestido adequadamente. “A pessoa vem com um sapado inapropriado, pode torcer o pé. Vem de roupa de academia, bermuda. O ambiente é bem frágil. Quem não está acostumado a lances verticais, se solta e cai. Tem que ter um mínimo de conhecimento, vir com roupa resistente”, esclarece.

Para o presidente da federação, um controle com cadastro prévio de visitantes poderia minimizar os riscos, tanto ambientais quanto com relação à pandemia. “Curitiba está com a bandeira laranja. As pessoas aqui também correm o mesmo risco, fazem aglomerações, metade sem máscara, vai pegando em degrau, em galhos, o outro pega e encosta. É preciso seguir protocolos”, sugere.

Fiscalização foi reforçada

Para garantir um controle de público por causa da pandemia do novo coronavírus, uma ação conjunta entre IAT (Instituto Água e Terra), Guardas Municipais e Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde deve fiscalizar os parques estaduais Pico Marumbi, Serra da Baitaca e Pico Paraná, Morro do Anhangava até esta terça-feira (8).

O movimento nesses locais tem aumentado com o tempo firme e calor. Desde o dia 15 de agosto, por meio de uma portaria, o IAT liberou a reabertura dos parques estaduais, que estavam fechados por causa da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o comandante do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde, coronel Adilson Luiz Correia dos Santos, a recomendação é que os visitantes passem pelas entradas oficiais para receber uma senha de acesso e que mantenham distância de dois metros de outras pessoas.

Também é recomendado o uso de roupas confortáveis, lanternas e celulares durante a caminhada nas trilhas, especialmente à noite.

Via: Tribuna Do Paraná