Adolescente que fez ataques racistas à filha de Gagliasso vai cumprir liberdade assistida

13/04/2018 às 08:50.

Em 2016, garota de 14 anos fez comentários preconceituosos em uma foto postada por Giovanna Ewbank. Decisão é da Vara da Infância e Juventude de Guarulhos, na Grande São Paulo.

Fantástico - Bruno Gagliasso, Giovanna Ewbank e Titi (Foto: Reprodução/Fantástico)

Fantástico – Bruno Gagliasso, Giovanna Ewbank e Titi (Foto: Reprodução/Fantástico)

A Vara da Infância e Juventude de Guarulhos, na Grande São Paulo, decidiu que a adolescente, de 14 anos, que praticou ataques racistas na internet contra Chissomo, filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, cumpra liberdade assistida como punição.

A informação foi dada ao G1 por Mariana Zonenschein, advogada do casal. O processo corre em segredo de justiça por envolver menores de idade.

Em novembro de 2016, Chissomo, também chamada de Titi, sofreu ataques racistas nas redes sociais. Os comentários preconceituosos foram escritos em uma foto publicada pela atriz e apresentadora Giovanna Ewbank.

Segundo a advogada, a decisão foi tomada porque a adolescente é primária e demonstrou “profundo arrependimento”. “Se ela fizer tudo direito, ok. Se não cumprir, ela deve ter uma penalidade mais extrema que é a internação”, avaliou.

Um orientador será designado pela Vara da Infância e Juventude e dará apoio e supervisão à garota, que após seis meses deve reportar ao juiz um relatório do caso.

Titi tem quatro anos e foi adotada pelos atores depois de uma viagem ao Malawi, no Sul da África.

Bruno Gagliasso registra na delegacia ofensa racista contra a filha

Bruno Gagliasso registra na delegacia ofensa racista contra a filha

Ataques racistas

O casal registrou queixa contra os ataques e a polícia identificou a garota, que confessou ter feito os comentários. Para publicar os comentários racistas, a adolescente criou um perfil falso numa rede social e usou o nome e as fotos de uma amiga.

Em depoimento à polícia, ela disse que não se preocupou com as consequências e que fez isso para “zoar” a amiga. A adolescente também disse que escolheu o perfil de Giovanna Ewbank de forma aleatória e que sabe que os comentários foram de cunho racista.

O caso não foi o primeiro ataque racista que a criança sofreu. Em 2017, a brasileira Day Mcarthy, que se define como escritora e mora no Canadá, publicou um vídeo em uma rede social com ofensas raciais à menina. Essa não foi a primeira vez que Day Mcarthy ofendeu artistas e filhos deles com postagens preconceituosas.

Ofender alguém por causa da cor da pele é crime de injúria racial e quem comete está sujeito a prisão de um a três anos.

Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank falam sobre racismo contra filha Titi

Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank falam sobre racismo contra filha Titi

Via: G1