A qualquer momento, ex-presidente Lula pode ser sentenciado em mais 2 processos

 

Com a entrega das últimas alegações finais no processo referente ao sítio em Atibaia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já tem dois processos da Lava Jato prontos para sentença na Justiça Federal de Curitiba. Além do processo envolvendo o imóvel em Atibaia, o petista também é réu em uma ação referente a compra de um terreno para construção de uma nova sede para o Instituto Lula e a locação de um apartamento em São Bernardo.

A entrega das alegações finais das defesas marca a última fase antes da decisão do juiz pela condenação ou absolvição dos réus. A partir de agora, a juíza Gabriela Hardt, que conduz os processos da Lava Jato até que um substituto para o ex-juiz Sergio Moro seja definido, já pode publicar a sentença do processo do sítio. Ela já foi responsável por conduzir os interrogatórios de todos os réus do processo, que ocorreram logo após Moro aceitar o convite do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Assim que aceitou o convite, Moro pediu férias e, em seguida, exoneração da carreira de juiz.

Neste processo, Lula é acusado de receber vantagens indevidas da OAS e da Odebrecht através de reformas em um sítio em Atibaia, que era utilizado pela família do ex-presidente. Lula nega que seja dono do sítio, mas uma perícia da Polícia Federal no local só encontrou objetos pessoais da família do petista.

Ao entregar as alegações finais, nesta segunda-feira (07), Lula atacou Moro, Bolsonaro e Hardt e pediu absolvição no processo. A defesa, comandada pelo advogado Cristiano Zanin, voltou a afirmar que o ex-presidente é vítima de “lawfare” – uso de instrumentos jurídicos para perseguição política. Cita ataques de Bolsonaro a Lula ao longo da campanha eleitoral, como a declaração de que iria “fuzilar a petralhada”, para reforçar a contestação à nomeação de Moro para o governo.

 

 

CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA NO SITE DA TRIBUNA DO PARANÁ