Ao Vivo

A partir desta sexta-feira, pessoas de 55 a 59 anos também podem se vacinar contra a gripe

07/07/2017 às 15:30.

A Secretaria Municipal de Saúde incluiu mais um grupo com acesso gratuito à vacina contra a gripe: a partir desta sexta-feira (7), pessoas de 55 a 59 anos poderão se imunizar em um dos 110 postos de saúde de Curitiba. A decisão aconteceu depois que o Governo do Estado deu autonomia para os municípios incluírem novos grupos aos que já são obrigatórios à imunização da gripe, conforme determinação do Ministério da Saúde.

“Curitiba já atingiu a meta global e decidimos beneficiar mais um grupo de pessoas com as doses que estão disponíveis nos postos”, destacou a diretora do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, Caroline Kresbsbach. “Ainda queremos ampliar o número de gestantes e crianças de seis meses até 5 anos imunizadas, grupos em que ainda não atingimos um número ideal de vacinados no município.”

Estatísticas da campanha deste ano

Até esta quinta-feira (6), 342.584 pessoas haviam sido vacinadas na rede de saúde de Curitiba. O número corresponde a 91,2% do público alvo da campanha, superando a meta sugerida pelo Ministério da Saúde, de vacinar 90% do público-alvo. Os idosos foram quem mais procuraram pela vacina, com 208.744 imunizados, totalizando 103,9% da meta estimada.

Crianças compõem o segundo grupo mais imunizado, com 69.133 vacinas aplicadas, correspondente a 68,1% dessa população. Também foram vacinadas 12.188 gestantes (65,5%), 5.011 puérperas (163,8%) e 47.508 profissionais da saúde (91,9%). Foram aos postos de saúde 24.222 professores e 74.088 pessoas com doenças respiratórias crônicas.

A vacina desta campanha é trivalente, com componentes dos vírus H1N1, H3N2 e B. As doses estão disponíveis nos postos de saúde para pessoas mais suscetíveis a desenvolver complicações devido ao vírus. A vacina está disponível para os seguintes grupos:

– Crianças a partir de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos 11 meses e 29 dias);
– Gestantes;
– Puérperas (até 45 dias após o parto);
– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativas;
– População privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional;
– Trabalhadores da saúde;
– Povos indígenas;
– Idosos com 60 anos ou mais;
– Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;
– Professores das escolas públicas e privadas.
– Pessoas entre 55 e 59 anos (59 anos, 11 meses e 29 dias).

Via: Tribuna do Paraná