A amizade entre humanos e cachorros começou há 14 mil anos

21/02/2018 às 09:24.

Há 14 mil anos, humanos e cachorros já tinham uma relação de amor e cuidado. Um estudo publicado no periódicoJournal of Archaeological Science mostra que uma família do período Paleolítico fez o possível para ajudar um cachorro a sobreviver. Tanto que os restos do animal foram enterrados junto com todos eles.

A descoberta é do veterinário Luc Janssens, que está se candidatando ao Ph.D. da Universidade de Leiden, na Holanda. No anúncio da pesquisa, ele conta que o túmulo onde estavam enterrados um homem, uma mulher e dois cachorros, foi encontrado em 1914, sendo uma das evidências mais antigas da domesticação desses animais.

Janssens suspeita, no entanto, que a relação não tenha se limitado à domesticação: segundo ele, os humanos tinham bastante carinho pelos seus cães. Ao analisar os dentes do cachorro mais jovem, o pesquisador descobriu que o animal deva ter morrido aos sete meses por infecção ou raiva canina.

Dentes do cachorro encontrado em 1914 (Foto: Reprodução/LVR-LandesMuseum Bonn)

“Sem os cuidados certos, um cachorro nessas condições pode morrer em menos de três semanas”, afirmou Janssens no anúncio da pesquisa. Mas o cachorro encontrado conseguiu sobreviver mais tempo do que isso. “O que significa que alguém o manteve aquecido, limpo e alimentado, mesmo que não tivesse nenhum uso prático como animal por estar doente.”

Para o pesquisador, a descoberta, assim como o fato de os cachorros serem enterrados com os humanos que provavelmente eram seus donos, mostra que essa amizade verdadeira dura há pelo menos 14 mil anos.

Via: Revista Galileu