Família recupera notebook furtado com exames de menina com doença rara

29/03/2018 às 09:43.

Família recupera notebook roubado com exames de menina com doença rara em Sertãozinho, SP

Furtado há dois dias, o notebook que continha documentos sobre o tratamento da menina Luiza Bertuzo, de 6 anos, que sofre com uma doença rara, foram recuperados pela família no início da madrugada desta quarta-feira (28) em Sertãozinho (SP).

Mãe da garota, a antropóloga Karis Bertuzo contou que um grupo de pessoas que não quis se identificar bateu no portão da casa da família por volta de meia-noite e devolveu não só o notebook, mas também pen drives e um HD externo onde estão exames da filha.

“Todo o material veio intacto. Eles pediram que olhássemos o pen drive, os cartões de memória, o HD, e eles estavam intactos. Os exames da Luiza, o histórico dela, as terapias que estão no notebook voltaram. Ganhamos na loteria, estamos aliviados”, diz.

A menina Luiza, de 6 anos, brinca na casa dos pais em Sertãozinho, SP (Foto: Alexandre Sá/EPTV)

A menina Luiza, de 6 anos, brinca na casa dos pais em Sertãozinho, SP (Foto: Alexandre Sá/EPTV)

O crime ganhou repercussão na noite de terça-feira (27), depois que uma reportagem sobre o caso foi exibida no Jornal da EPTV. A casa da família foi invadida na manhã de segunda-feira (26), no período em que o pai levava Luiza à escola.

“Foram três horas aproximadamente, não mais do que isso. Foi muito rápido, só foram alguns eletrônicos específicos. Infelizmente, nesse grupo estava o material da campanha, então esse material foi levado”, relembra.

Luiza foi diagnosticada com transtorno de desenvolvimento, mas, segundo a mãe, não há um consenso para a doença da menina. Karis afirma que a filha apresenta regressão motora, tem a fala prejudicada e confusão mental.

Karis Bertuzo mostra os equipamentos recuperados após furto em Sertãozinho (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

Karis Bertuzo mostra os equipamentos recuperados após furto em Sertãozinho (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

Após tratamentos no Brasil, a família descobriu a possibilidade de um procedimento com células-tronco no México. Sem condições de bancar os custos, os pais mobilizaram a campanha “Vem Cá Luiza” e conseguiram arrecadar R$ 160 mil em doações.

Há três anos, Luiza recebeu o transplante e passou a apresentar melhoras significativas, registradas pelos pais e divulgadas na página oficial da campanha. Toda a documentação do histórico médico, no entanto, foi levada pelos ladrões.

“São os primeiros exames, onde a gente pode fazer a verificação, comparando a melhora de um exame para outro, a cada intervenção, já que ela faz um tratamento experimental. É bem difícil fazer a investigação de uma doença rara”, afirma a mãe.

Agora, a família comemora a recuperação dos equipamentos e dos exames de Luiza. A mãe diz não ter dúvida de que a mobilização popular, mais uma vez, fez toda a diferença no tratamento da filha.

“Foi viral, muito rápido e foi isso, com certeza, que impediu que outras pessoas negociassem os produtos, deletassem as imagens, formatassem os aparelhos. Está tudo em ordem”, conclui.

Luiza Bertuzo, de 6 anos, usa notebook que havia sido furtado (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

Luiza Bertuzo, de 6 anos, usa notebook que havia sido furtado (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

Via: G1