Fique Sabendo

Pedreira Paulo Leminski é enfim liberada

14 de janeiro de 2014, 10:25. Comente esta notícia!

Para encerrar uma briga judicial que durou mais de cinco anos e tirou Curitiba da rota de grandes shows internacionais, a Prefeitura de Curitiba anunciou ontem que a Pedreira Paulo Leminski está pronta para reabrir, após uma decisão judicial revogar a liminar que impedia a realização de eventos no local.

O fechamento foi pedido pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) em 2008, numa ação em nome de vizinhos do espaço, que reclamavam de “barulho” e de “confusões” em dias de espetáculo. Em 2012, um acordo estipulou que se fossem feitas obras de adaptação e respeitadas algumas restrições de uso, a Pedreira poderia reabrir (leia mais nesta página).

Na semana passada, o juiz Eduardo Lourenço Bana, da 4.ª Vara da Fazenda Pública, autorizou a reabertura, entendendo que já foram cumpridas todas as exigências feitas pelo MP-PR para garantir a tranquilidade e a segurança tanto dos frequentadores do espaço como dos moradores do entorno.

Para poder funcionar, a nova gestão da Pedreira terá de obedecer às normas previstas pelo acordo. Serão, no máximo, dois grandes eventos por mês. Os shows realizados de segundas a quintas-feiras devem terminar até às 23 horas. Nas sextas-feiras, sábados e vésperas de feriados, o limite é 1 hora da manhã seguinte. Aos domingos e feriados, as apresentações não podem ultrapassar as 20 horas.

“A limitação dos horários é fundamental. Sem isso é impossível manter um espaço para espetáculos dentro de uma área urbana. Não prejudica em nada a programação nem o divertimento do público. É uma questão de adequação e hábito, que virão com o tempo”, acredita Hélio Pimentel Filho, diretor de operações da DC Set Promoções, empresa que detém a concessão para administrar o espaço.

Segundo ele, ainda não há previsão de data ou artista provável para um show de reinauguração.

Novo palco

As obras de reforma da Pedreira tiveram investimento total de R$ 17 milhões e incluíram a recuperação do portal de entrada, alargamento da via principal de entrada, remodelação de banheiros e equipamentos de acessibilidade.

Segundo Pimentel, também foram feitos investimentos além dos exigidos pelo MP-PR. O principal deles, a instalação de um novo palco, com 1,3 mil metros quadrados de área coberta.

“O edital previa a recuperação do antigo palco, porém, percebemos que não havia condições e fizemos este novo, quase três vezes maior que o antigo.” Para o produtor, não há outro palco “ao ar livre, fixo e montado permanentemente, com a qualidade do novo da Pedreira em toda a América Latina”. “Vamos poder receber shows de qualquer grande artista internacional”, comemora.

Ele conta que a DC Set também vai contratar uma empresa de segurança para atuar permanentemente na Pedreira usando um sistema de inteligência para monitor todo o espaço.

Outra iniciativa do pacote é criar, em parceria com a Prefeitura, um sistema para que o público possa usar transporte público gratuito ou uma rede de vans e micro-ônibus tarifados que sairão de seis pontos diferentes da cidade para ir e voltar dos shows.

“Queremos que isso ajude a criar um hábito, que ajude as pessoas a entender que é mais inteligente voltar tranquilamente dos eventos, sem problema de estacionamento ou segurança de carro”, explica.

Expectativa é grande pelo show de reabertura

Ontem, durante o anúncio sobre a reabertura, a gestão da Pedreira Paulo Leminski foi cautelosa e não quis adiantar o nome de um possível artista para o show de reinauguração do espaço. “Até o final desta semana poderemos falar de programação. Dá pra adiantar, porém, que teremos um evento à altura da Pedreira”, disse Helinho Pimentel.

Sem confirmar datas, Pimentel deu a entender que a reabertura deve ocorrer a partir de março, provavelmente no dia 29, data de aniversário de Curitiba. E teria mais um ou dois shows em abril.

A reportagem do Caderno G fez um levantamento de nomes relevantes que estarão em turnê pelo Brasil nessa mesma época e que poderiam ser convidados para se apresentar no auditório ao ar livre, que já foi palco, no passado, de shows antológicos de Paul McCartney, Ramones e David Bowie, entre muitos outros.

A banda norte-americana Metallica estará no Brasil para um único show em São Paulo, no dia 22 de março. Em abril, vários grupos importantes vêm ao país para a edição nacional do Lollapalooza, como Arcade Fire, Pixies, Soundgarden, Nine Inch Nails e New Order.

Durante a Copa do Mundo, a Fifa deve promover diversos shows nas cidades-sede e boatos dão conta de que Beyoncé, Paul McCartney e U2 deverão fazer apresentações gratuitas no país.

Rei

No ano passado, Pimentel disse à Gazeta do Povo que a Pedreira também abrigaria shows fora do universo do pop-rock e citou o rei Roberto Carlos (o empresário pessoal do cantor, Dody Sirena, é cofundador da DC Set) e o maestro holandês André Rieu.

Fonte

Nenhum Comentário

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*

*

*