Fique Sabendo

Atlético anuncia novo aumento da fatura da Arena: R$ 319 milhões

24 de janeiro de 2014, 10:03. Comente esta notícia!

A reforma da Arena da Bai­­­­xada custará R$ 319 milhões. É em cima deste valor que o comitê formado para gerenciar a obra do estádio irá trabalhar para manter Curitiba na Copa de 2014. O orçamento, 20,2% maior do que o anterior, foi entre­­gue pelo Atlético no fim da tarde de quarta-feira, na Fo­­mento Paraná, e está passando por auditoria. O clube não fez nenhum pedido extra de financiamento.

Curitiba tem até 18 de fe­­vereiro para convencer a Fifa a mantê-la como sede. A entidade já trabalha com o fim de abril como data para a entrega da obra, mas o jogo inaugural deve ser apenas no dia 16 de junho, com Irã x Nigéria, primeira das quatro partidas do torneio na cidade. Segundo o Atlético, não haverá evento-teste.

Esta é a terceira atualização do custo da Arena. A primeira fatura formalizada foi de R$ 135 milhões, no convê­­nio assinado entre prefeitura de Curitiba, governo esta­­dual e Atlético, em setembro de 2010, que oficializou a Arena como estádio da Copa. Em julho de 2011, saltou para R$ 184,6 milhões. Em julho do ano passado, R$ 265,4 milhões. Mesmo com um acréscimo de 136% em relação ao preço inicial, a Baixada ainda é a arena mais barata do Mundial. O Beira-Rio, em Porto Alegre, sairá por R$ 330 milhões.

O ajuste financeiro é um dos pontos do plano emergencial para que a sede de Curi­­tiba não seja excluída. Ainda ontem, a Fomento depositou os R$ 39 milhões que faltavam do terceiro empréstimo. Nos próximos dias, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve liberar os R$ 6,5 milhões ainda retidos do crédito de R$ 131,1 milhões.

Os outros dois pontos anunciados na terça-feira, em Curitiba, pelo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, serão postos em prática a partir de hoje. O comitê gestor da obra, um desses pontos, tem duas reuniões para definir as prioridades do trabalho – uma na prefeitura, outra possivelmente na Arena.

Na segunda-feira o grupo passará a trabalhar diretamente no estádio e, dois dias depois, deve elaborar o primeiro relatório. Somente para o fim da semana que vem está prevista a entrada de novos operários e o reforço de turno no canteiro, outra diretriz do plano emergencial.

A implementação do pacote é acompanhada de declara­­ções públicas de confiança na entrega do estádio. Em Zu­­rique, a presidente Dilma Rous­­sef disse que “estádios são obras simples”.

No Rio, Valcke revelou otimismo. “No dia 18 de fevereiro, vamos avaliar. Esperamos o estádio pronto até o fim de abril”, disse. “O que posso dizer para os torcedores é que eles ainda podem comprar ingressos e reservar voos para os quatro jogos em Curitiba sem se preocupar”, complementou.

Apesar da mensagem positiva, o próprio secretário-geral admitiu que “não há solução fácil” para Curitiba. Nos bastidores da Fifa, os atrasos nas obras são motivo de pânico. “Ninguém sabe o que fazer se Curitiba cair, se os testes mostrarem erros em Itaquera e se os aeroportos não funcionarem”, afirmou à Agência Estado um funcionário do alto escalão da entidade.

Segundo o presidente do Atlético, Mario Celso Pe­­tra­­glia, não haverá jogo algum antes do torneio. “Na reunião de terça-feira, fui chamado atenção porque, por pressão do governo, disse que teríamos um jogo-teste em fevereiro. A Fifa não quer mais o jogo, não quer partida de inauguração. Eles não querem pôr em risco o gramado. Não teremos nada até a Copa”, afirmou, em entrevista à rádio oficial do clube.

Nenhum Comentário

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*

*

*